Galeano renova? Veja detalhes do contrato e saiba o que pensa a diretoria do São Paulo

Atacante paraguaio está emprestado até o fim da temporada

Mais uma revelação oriunda do centro de formação de atletas de Cotia, Galeano vem ganhando espaço e gera até campanha de torcedores para permanecer no São Paulo em 2022.

Porém, dentro do clube, o assunto ainda é tratado com cautela.

O contrato de Galeano, emprestado pelo Rubio Ñu (Paraguai), vai até o fim da temporada e possui uma cláusula de compra de 1 milhão de dólares (R$ 5,4 milhões). O São Paulo pode dividir o pagamento em duas parcelas de 500 mil dólares (R$ 2,7 mi) ao longo de 2022.

O crescimento do jovem atacante, que anotou o primeiro gol pelo profissional no último domingo, é acompanhado pela comissão técnica e diretoria. Entretanto, em um ano direcionado para contenção econômica, o São Paulo por enquanto se apega ao atual contrato, de empréstimo até o fim do ano.

Embora o atacante surja como um dos destaques da base no profissional em 2021 e tenha o compromisso de empréstimo limitado até o fim do ano, o São Paulo ainda não abre negociação para comprar o atleta paraguaio.

O clube trouxe Galeano no início de 2019, em empréstimo por uma temporada. O clube do Morumbi poderia comprá-lo por 600 mil dólares (R$ 3,3 milhões), adquirindo 60% dos direitos, mas obteve um novo acordo e assegurou mais um ano de empréstimo.

Ter mais um ano sem a necessidade de compra dá fôlego ao São Paulo, que vive situação financeira difícil, agravada com a pandemia de Covid-19. A redução de custos é tratada como um dos principais objetivos da gestão de Julio Casares.

Ainda não houve uma redução considerável na folha salarial (aproximadamente 1% em comparação à virada do ano), e o São Paulo admite que pode até negociar atletas para ajudar nesta conta, que pode influenciar na compra de Galeano.

Pelo lado do jogador, o desejo é pela permanência, como o próprio camisa 27 comentou no último domingo, depois da vitória por 3 a 0 sobre o Ituano, fora de casa.

— Claro que sim (o gol como recado para a permanência). Eles (diretoria do São Paulo) que sabem o que vai acontecer comigo. Vou seguir trabalhando, que vai chegar o momento — declarou o atacante, que chegou a atuar como ala direito e se destacou também contra o Guarani.

Por José Edgar de Matos — GE São Paulo

FOTOS independente

Pelo Morumbi

Caravanas pelo Mundo

Torcida Independente